28/03/2009

Um DeUs de AmOr

Quando o cristianismo diz que Deus ama o homem isso significa que Ele o ama realmente.
Não se trata de um interesse indiferente, quase um "desinteresse" em nosso bem-estar, mas que, numa verdade terrível e surpreendentemente, somos os objetos do seu amor.

Você pediu um Deus de amor e já tem.

Como isso pode ser não sei... supera o nosso raciocínio explicar como quaisquer criaturas, para não dizer criaturas como nós, possam ter um valor tão prodigioso aos olhos de seu Criador.

O problema de reconciliar o sofrimento humano com a existência de um Deus que ama só é insolúvel enquanto associarmos um significado trivial à palavra "amor" e consideramos as coisas como se o homem fosse o centro delas.

O homem não é o centro. Deus não existe por causa do homem. O homem não existe por sua própria causa.

"Porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas”. (Apocalipse 4:11)

Pedir que o amor de Deus se satisfaça conosco na condição em que nos encontramos, é pedir que Deus deixe de ser Deus: porque Ele é o que é, o Seu amor deve, na natureza das coisas, ficar impedido e sentir repulsa por certas nódoas em nosso caráter, e porque já nos ama ele precisa esforçar-se para nos tomar dignos de amor.

O que chamaríamos aqui e agora de nossa "felicidade" não é o alvo principal que Deus tem em vista, mas , quando formos aquilo que Ele pode amar sem impedimento, seremos de fato felizes.

Trecho do livro "O problema do Sofrimento" de C. S. Lewis

créditos: Camila Palma

Um comentário:

Reinam Ribeiro disse...

Os homens pensam que Deus é limitado como eles. É por isso que vemos tantos deuses em diversas culturas. Às vezes até fazemos deuses a nossa semelhança, conforme pensamos que deve ser, conforme nosso ego. Mas Deus é Deus, tudo passará, mas suas palavras permanecem para sempre. Cabe a nós desejarmos conhecê-lo de verdade como Ele é.